E-commerce em 2021: dicas práticas para começar bem no mercado

 e-commerce

Se você achava que não existe mais espaço no mercado para iniciar um negócio no ramo de e-commerce você está enganado.


O mercado está crescendo como nunca. Nesses tempos de Pandemia e isolamento social, quem souber aproveitar as oportunidades pode tirar vantagem deste momento para ter sucesso em e-commerce.


Só que começar um e-commerce ainda dá um grande trabalho e muitos desistem por isso. 


Hospedagem, distribuição, logística… Tudo que é preciso para começar faz o assunto parecer um bicho de sete cabeças. 


Nós estamos aqui para desenrolar isso e tornar tudo mais claro para você com dicas práticas.


O E-commerce veio para ficar. De fato, e-commerce é um dos ramos mais importantes e crescentes do mercado varejista hoje em dia.


Muitas pessoas têm interesse em começar um negócio em e-commerce, pois ele é uma das opções mais recomendadas para quem quer abrir um negócio digital e conquistar a tão sonhada independência financeira.


Para ter sucesso nesse meio é importante muito planejamento. 


Para isso, nós queremos te ajudar a entender o que é e-commerce e todas as etapas necessárias para implementá-lo.

: ilustração mostrando dinheiro saindo de uma tela de computador.

1. O que é e-commerce?

A palavra e-commerce é uma abreviação em inglês do termo electronic commerce que significa literalmente “comércio eletrônico”. 


Hoje em dia se entende como e-commerce o ramo da economia que engloba todo tipo de negócio no qual pagamentos e transações são efetuados 100% online.

2. Qual é a diferença entre e-commerce e loja virtual?

Você já deve ter se deparado com esses dois termos e talvez usado as duas palavras com a mesma intenção.


No entanto, existe uma diferença que você precisa saber para entender melhor com o que está lidando e quais são suas opções. 


A loja virtual é simplesmente o canal que você utiliza para alcançar o público que é geralmente um site dedicado para vendas.


O termo e-commerce é muito mais brando e envolve toda e qualquer operação de venda na internet. Por isso, é possível criar um e-commerce sem ter uma loja virtual. 


Por exemplo, você pode usar outros canais de venda como Mercado Livre, Amazon, OLX e Facebook MarketPlace.


Como nós vamos falar por aqui, começar a vender por esses canais é muito mais recomendável para quem ainda está aprendendo a lidar com um negócio de vendas na internet.


3. Vale a pena começar um ecommerce em 2021?

mão robótica segurando um cartão em frente a um laptop.

Em 2020 muitas pessoas devem achar que não vale mais a pena entrar no ramo de e-commerce, pois a competição está esmagadora e esta cada vez mais difícil encontrar um produto único.


Além disso, com a pandemia pode parecer intimidador ou impossível iniciar um negócio. 


Apesar disso, o Brasil está caminhando para registrar o maior número de novos empreendedores da história, com um aumento de 14,8% no número de microempreendedores individuais em relação ao ano anterior.


Além disso, o mercado está crescendo como nunca e as vendas estão disparando principalmente por conta da Pandemia que estamos enfrentando.


Veja, por exemplo, a maior loja virtual de varejo da América do Norte, a Amazon, que tem registrado aumento constante em número de acessos mesmo com a reabertura de lojas e cancelamentos de lockdown. 


O mês de julho teve um aumento de 28.1% em acessos, comparado à fevereiro de 2020 e um aumento de 8.7% comparado aos anos anteriores.


A média de renda dos vendedores na Amazon teve crescimento de 60 mil dólares por ano no período que incluiu o começo e o pico da pandemia nos Estados Unidos.


A gigante chinesa Alibaba também registrou mais do que o dobro de lucro no primeiro trimestre de 2020 comparado ao ano anterior, de acordo com o The Wall Street Journal.


O aumento nas vendas dessas gigantes do e-commerce é uma boa notícia para quem quer começar um e-commerce, pois estas plataformas são feitas por vendedores individuais e lojas.


Esse aumento, no entanto, não se aplica apenas às gigantes do e-commerce, mas representa uma tendência do mercado em geral, que está caminhando na direção das compras online. 


De acordo com um relatório publicado pela Forbes, o mercado cresceu 52 bilhões de dólares e deu um salto em crescimento que levaria entre 4 e 6 anos para obter se não fosse a pandemia.


Você pode pensar que esse crescimento todo vai passar quando a pandemia deixar de nos assolar e o mercado voltar a normalidade, porém de acordo com especialistas muitas das mudanças que estamos vivendo vieram para ficar. 


De acordo com a OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o mercado de e-commerce se expandiu com uma oferta maior de produtos, voltando-se às necessidades básicas dos consumidores.


Com isso, é provável que as mudanças causadas pelo COVID afetem e-commerce permanentemente não apenas devido à chance de novas ondas do vírus, mas também pelos consumidores terem se acostumado com a conveniência de comprar tudo o que precisa do conforto e segurança de suas casas e muitos novos clientes terem aprendido a utilizar a internet para compras.


De fato, uma pesquisa da 99 Firms prevê que até 2040 cerca de 95% de todas as compras serão feitas por meio de e-commerce.


Realmente não tem como parar esse crescimento, mas ainda há tempo para se conquistar um espaço.


Essas informações mostram que se você se planejar e entender as necessidades que estão surgindo nesse ano de mudanças profundas, você pode aproveitar uma oportunidade única de criar um negócio digital de sucesso.

4. Como começar um ecommerce do zero?

A verdade que poucos contam é que não há como iniciar um negócio a partir de um zero absoluto. 


Você pode criar algo que não existia antes, porém para começar é necessário que você já tenha alguns recursos para investir, como tempo, disposição, vontade de aprender e sim, dinheiro.


Hoje em dia, ferramentas como a Systeme.io já possibilitam iniciar e gerenciar um negócio virtual com um capital bem baixo e nós vamos falar disso mais a fundo em breve.


Porém, antes de contratar qualquer serviço você precisa dedicar bastante tempo para pensar no seu negócio e planejá-lo etapa por etapa.

4.1. Como fazer um planejamento para e-commerce?

4.1.1. Escolha seus produtos

Antes de tudo você precisa pensar no seu produto. Muita gente pode te aconselhar a simplesmente vender o que é tendência no mercado. 


Essa estratégia funciona a curto prazo, mas se você realmente quer se destacar e construir um negócio que te inspire e te dê orgulho é melhor procurar um produto que você realmente ame.


Pensa bem, você provavelmente tem uma inclinação natural a passar mais tempo lendo, pesquisando, assistindo conteúdos que te interessam profundamente. 


Nós seres humanos somos assim, mais propensos a investir naquilo que nos dá prazer.


Criar um e-commerce já envolve tanta coisa que não é tão interessante, como a parte logística e técnica e você inevitavelmente vai ter que aprender um monte de coisa que não é exatamente a sua praia.


Então, a menos que você tenha uma mente bem robótica, é recomendável que o seu produto seja algo que te anime. 


Pense em algo que você não para de falar sobre com seus amigos ou algo que você mesmo passa horas buscando, mas tem dificuldade de encontrar na internet. 


Busque produtos que você gostaria de conversar e tirar dúvidas sobre, ou coisas sobre as quais você realmente quer aprender.


Após pensar nisso, busque uma linhagem de produtos que seja pouco explorada pelo grande comércio. Por exemplo, digamos que você ama música e quer abrir uma loja de instrumentos.


Vai ser difícil aparecer em meio aos grandes nomes da competição. Porém, se você escolher se especializar em instrumentos vintage feitos à mão ou personalizados, você já tem uma chance maior de se destacar nesse mercado.


O segredo é escolher uma forma de especializar o seu produto e encontrar um nicho. Para isso você precisa passar um bom tempo pesquisando também para descobrir coisas que ainda não estão sendo muito exploradas no mercado.


Após escolher um setor, uma boa ferramenta gratuita para você utilizar é o Google Keywords Planner, que é o planejador de palavras-chave do Google. 


Nele você tem uma visão do volume de pesquisas sendo feitas por mês de acordo com cada palavra-chave.

Captura de Tela do Google Keywords Planner mostrando pesquisa com o termo “violão vintage”.

Voltando ao exemplo dos instrumentos vintage, é possível ver o número médio de pesquisas mensais, que fica entre 100 e mil e a estimativa de competitividade, que o Google calcula de acordo com o número de anunciantes que utilizam a mesma palavra-chave.


O Google Keywords Planner tem várias outras ferramentas que serão úteis para o seu e-commerce, principalmente caso você invista em publicar anúncios no Google.

Além do Google Keywords Planner, o Google Trends também é uma ferramenta aliada para você analisar as tendências no mercado e-commerce.


Por exemplo, durante a pandemia, devido à alta em funcionários trabalhando em casa houve um aumento na pesquisa “cadeiras para home office” com pico em junho de 2020.

Gráfico do Google Trends mostrando dados da pesquisa “cadeiras de home office”

Por isso uma boa dica é ficar atento às notícias para ter ideias de produtos que possam ser adicionados ao seu site de acordo com a demanda do público.

4.1.2. Conheça seu público-alvo:

Uma vez definido o seu produto é hora de entender quem é que vai comprá-lo. 


Isso é fundamental para vender na internet, pois você vai ter que buscar o seu cliente nos canais que ele utiliza e pensar nele durante toda a sua estratégia, desde o design do seu site ao conteúdo que você compartilha nas redes sociais e os anúncios que você paga.


Aí vem pesquisa de novo. Passe um bom tempo buscando informações na internet sobre o seu público-alvo, entendendo sua faixa etária, gênero, profissão, interesses e mais importante ainda, seus desejos e dores.

4.1.3. Defina sua plataforma de vendas:

A este ponto é importante definir onde e como vender seus produtos.


Existem dois caminhos diferentes que vão mudar a trajetória do seu planejamento e implementação.


O mais recomendável para quem ainda está começando é utilizar um Marketplace, que é uma plataforma que já possui toda a infraestrutura para gerar tráfego e gerenciar vendas. 


Começar diretamente com uma loja virtual pode ser um caminho muito complicado já que além de ter um trabalho enorme para construir toda a infraestrutura da loja você terá que criar tráfego e gerar conversão.


Em uma Marketplace você tem a chance de começar a aprender a vender o seu produto, gerenciar seu estoque de acordo com a demanda, anunciar seu produto da forma correta e a gerir relacionamento com clientes em uma escala mais acessível para iniciantes.


Além disso, se você ainda vende em volume baixo, no Marketplace é possível começar a vender sem ter que se preocupar em abrir uma empresa ou cadastro de MEI.


Por exemplo, no Mercado Livre, você pode começar com seu CPF a vender. Quando a sua renda crescer a um certo ponto o Mercado Livre vai cobrar um CNPJ.


Outras boas opções de marketplace para você considerar nas quais você pode começar com seu CPF são a Submarino, Amazon, Magalu e mais.


Caso você decida abrir uma loja virtual própria, a Systeme.io é uma opção sensacional para quem está começando.


A plataforma contém uma variedade de ferramentas para construir uma loja e monitorar as métricas do seu e-commerce, além de manter sua estratégia de marketing e SEO em dia.


O diferencial desta plataforma é a possibilidade de criar, personalizar e gerenciar o funil de vendas da sua loja, uma estratégia de marketing utilizada para levar os visitantes da página até a compra etapa por etapa.


Além disso, existem outras funcionalidades para equipar mais ainda o seu negócio, como a possibilidade de criar e gerenciar seu próprio programa de afiliados, que possibilita recrutar clientes para divulgar a sua marca e vender seu produto em troca de uma comissão sobre as vendas.


Todas essas funções estão disponíveis em uma plataforma só e você paga apenas 27 dólares por mês para começar.

Captura de tela mostrando ferramentas do Systeme.io

Captura de tela mostrando ferramentas do systeme.io

4.1.4. Vantagens e desvantagens de ter uma loja própria

A outra opção para quem quer iniciar um e-commerce é abrir sua própria loja virtual independente de plataformas de terceiros. 


Ter a sua própria loja te dá um certo nível de independência e possibilidades ilimitadas de customização. 


No entanto, a primeira questão a se preocupar é a da hospedagem do seu site que você vai precisar providenciar. 


Para isso, alguns sites como Locaweb, GoDaddy e Hostinger oferecem opções de hospedagem.


Você precisa escolher também um bom domínio para sua loja, ou seja, um nome que seja atraente, memorável e não muito longo. Para ter boas ideias, pode utilizar um gerador de nomes para empresas.


A ideia é pensar em algo mais original do que lojadeinstrumentosespecializados.com.br


Além disso, caso você não tenha experiência será necessário contratar alguém para gerenciar aspectos técnicos da sua página como web design, o sistema de vendas, sistema de atendimento ao cliente, etc.


Claro que se você tem em mente o crescimento da sua marca ter um site próprio vai se tornar essencial a certo ponto, no entanto, como já dissemos, gerenciar todas as tarefas relacionadas a criação e manutenção do site pode ser trabalho demais para o início da sua jornada. 


Um Marketplace ou uma plataforma para gerenciar sua loja, simplifica uma boa parte da logística envolvida no processo de vendas.


Por isso, o melhor momento para lançar sua loja independente é provavelmente quando o seu negócio já tem condições de acomodar uma equipe para lidar com partes desse processo.

4.2. A logística por trás do e-commerce

Se você não quer perder clientes por conta de entregas atrasadas ou por conta de alguma indisponibilidade no seu estoque, você precisa cuidar da sua logística.


Para isso você precisa:

4.2.1. Escolher bem os seus fornecedores:

Essa parte depende muito do seu tipo de produto, mas uma boa dica para encontrar os fornecedores certos é conversar com pessoas do seu ramo, participar de feiras industriais e buscar indicações.


Com indicações você pode se assegurar de que está trabalhando com um fornecedor de confiança. Você deve buscar fornecedores que ofereçam qualidade, preços atrativos e entrega em dia para não atrasar suas próprias entregas.


Se você precisa de produtos importados, o site Alibaba é uma boa opção para encontrar vários tipos de fornecedores.

4.2.2. Manter seu estoque em dia:

Imagem de um estoque com caixas sendo transportadas em um carrinho de mão

Para isso você precisa de um planejamento que te ajude a manter o estoque pronto para acomodar o seu volume de vendas.


Monitore o tráfego do seu site e se prepare para aumentos repentinos em números de venda. 


Tente manter um relatório sobre as tendências de cada temporada ou feriados e se prepare com antecedência.

4.2.3. Escolher um bom serviço de transporte:

Caminhões em uma estrada.

Ter um serviço de transporte no qual você possa confiar faz toda diferença para o seu negócio. 


Se informe sobre as opções disponíveis e leia as avaliações dos contratantes em sites como reclameaqui.com


Por exemplo, a Total Express é uma das maiores transportadoras do Brasil e recebeu o prêmio e-commerce Brasil.


Além disso, outra opção para o empreendedor é o contrato de comércio eletrônico com os Correios, que permite que você tenha até 30% de desconto sobre os valores cobrados no seu frete.

4.2.4. Manter uma boa comunicação com os seus clientes:

Não subestime a importância de se comunicar bem com os seus clientes a cada etapa do processo até a entrega. 


Isso significa avisar se houver qualquer tipo de problema que cause atraso e responder todas as dúvidas do seu cliente mesmo após a entrega. 


Uma boa experiência de compra pode garantir que o seu cliente compre mais.

4.2.5. Esteja preparado para gerenciar qualquer problema:

É importante também que a sua estratégia de logística esteja preparada para lidar com problemas no processo de compra. 


Por exemplo, é bom definir uma política de devolução e reembolso caso seu cliente decida cancelar a compra ou a entrega chegue com algum problema.


É claro que o seu objetivo principal é evitar esse tipo de problema, porém, saber lidar com imprevistos de forma profissional e ágil também é algo que define a imagem do seu negócio e pode fazer com que o cliente construa mais confiança no seu e-commerce.

4.3. Como as plataformas erp podem ser aliadas do seu e-commerce

As chamadas ERP, ou Enterprise Resource Planning, são plataformas para planejamento de recursos de empresas. 


Essas são ferramentas essenciais para negócios industriais e de distribuição, ajudando a gerenciar também a parte financeira de um negócio.


O processo logístico do seu processo pode ser facilitado com funcionalidades como gerenciamento de inventário, estimativa de preços assim como monitoramento e estatísticas das vendas feitas na sua plataforma de e-commerce.


Uma boa opção no mercado para vários tipos e tamanhos de negócios é a Dynamics 365 da Microsoft, que permite automatizar tarefas cotidianas, e melhorar as operações do seu negócio.

5. Novas tendências

O futuro já está aqui. Além da tendência de crescimento do mercado de e-commerce por conta da pandemia, é bom que você conheça algumas das novidades que vão bombar nesse mercado nos próximos anos.

5.1. Re-commerce, o e-commerce de produtos usados

Foto de uma pessoa lendo em frente a uma pilha de livros

O advento dos “brechós” online está tomando conta da internet aos poucos. 


As pessoas estão ganhando interesse em produtos reciclados por questões ambientais e também por gosto.


E-commerces que se especializam em selecionar produtos usados de qualidade ou reformar produtos tem boas chances de se destacar, principalmente nas indústrias de moda, decoração e etc


Algumas boas ideias de produto para esse ramo são roupas, joias, instrumentos, livros e brinquedos usados entre muitas outras.

5.2. A explosão do e-commerce em redes sociais

Pessoa rolando a tela de um celular e símbolos de redes sociais saindo da tela

Para se sobressair no mercado de e-commerce você precisa estar em dia com as suas redes sociais. 


Provavelmente você já sabe da importância de investir em um bom Marketing nesse campo.

imagem mostrando loja de maquiagem no Instagram

5.3. Chatbots, conversas em tempo real se tornam norma

Outra tendência é que a comunicação em tempo real se torne um requisito básico para qualquer e-commerce.


Além dos Chatbots com respostas pré-definidas, a tecnologia de Inteligência Artificial está tornando esta ferramenta cada vez mais poderosa. 


Ainda assim, a tecnologia existente hoje em dia em nada se compara a oportunidade de falar com um ser humano ao vivo.


Por isso, investir em ter uma pessoa sempre disponível para tirar dúvidas pode fazer uma enorme diferença na decisão de compra dos seus clientes.

5.4. Entrega por drones

imagem de um drone voando com por-do-sol ao fundo.

Pode parecer uma fantasia futurista, masas maiores empresas digitais já estão investindo em entregas por drone, simplesmente por essa ser uma opção muito mais barata e rápida para efetuar entregas.


A Amazon, por exemplo, está testando um sistema de drones com sensor para entregas por drones com mais segurança. 


O uso de drones pode economizar até 50 milhões de dólares em custo de entrega.


Claro que esta tecnologia ainda está na sua infância, porém a tendência é que comecemos a testemunhar mais e mais entregas locais e em curtas distâncias feitas por drone a partir de 2021.


Enquanto você ainda não pode implementar essa tecnologia no seu negócio, é importante saber que ela vai chegar com tudo e por isso é bom preparar o seu e-commerce para que ele se adapte facilmente a essa nova realidade.


Por exemplo, se você ainda não abriu um e-commerce e ainda não sabe o que vender, você pode começar pensando em produtos que sejam de fácil manuseio para serem carregados pelo drone.

6. Para resumir

Nós falamos até aqui sobre o que é e-commerce, o crescimento do mercado e o momento de oportunidade para abrir um e-commerce em 2021 apesar das dificuldades econômicas enfrentadas por muitos outros setores devido à pandemia.


Você também aprendeu sobre as etapas necessárias para planejar o seu e-commerce, alguns aspectos da logística de um e-commerce e as tendências para o mercado em 2021.


Revisando a dica mais importante: escolha produtos que você ama, para tornar o processo menos exaustivo, mais fácil e mais interessante para você.


Fique de olho no Blog da Systeme.io se você quiser continuar aprendendo sobre vários outros temas relevantes para o seu e-commerce.